terça-feira, 6 de setembro de 2011

Belezas de BH ! 1° TAREFA .

video





Nada de praia, sítio ou clube. Belo-horizontinos  podemos afirma que nossa cidade é grande o bastante para pensarmos em viajar para  outra cidade e até mesmo pais pois aqui achamos um dos lugares mais clássicos para se freqüenta ! Temos o ponto da lagoa da Pampulha aonde vamos para refletir , fazer caminhadas , para o nosso bem estar , temos também  os restaurantes simples e de luxo que podemos freqüenta com amigos e familiares . Temos os bares tradicionais que curtimos com os amigos em uma sexta-feira a noite . Casas de show , com shows inesquecíveis ... O clássico do teatro que vamos para nos diverti com o nossos pais , nossos familiares .  Temos um dom dentro da gente que é “ nunca deixar de ser criança “ , então , temos os parques de diversões , os parque ecológico , o zoológico aonde descobrimos cada dia mais sobre os animais ... temos os shopping mais freqüentados também , o shopping Del Rey , o Minas , o Itau Power ... até mesmo uma boate , uma matine , com o namorado ! E nunca deixando de se esquecer nas praçinhas , e no ar e da nossa natureza ... Lá no Rio de Janeiro, conheci tantas belezas , visitei tantos lugares, de São Paulo à Fortaleza, conheci o Amazonas, Tocantins e o Pará mas confesso não achei por onde eu andei lugar MELHOR QUE BH .


O ponto turístico de Belo Horizonte mais visitado é o Conjunto Arquitetônico da Praça da Liberdade, centro do poder executivo da cidade que abriga o Palácio da Liberdade, onde fica o governador de Minas. Ela foi construída na época da fundação de Belo Horizonte e apresenta projetos arquitetônicos de vários estilos como o neoclássico, o art-deco, o moderno e o pós-moderno. Onde os turistas vão adorar conhecer e dá uma passadinha por lá .





O Museu de Arte da Pampulha foi desenhado por Oscar Niemayer e o seu projeto foi feito para ser um cassino. Porém, com a proibição de jogos, o local tornou-se um belo museu com biblioteca, café, loja de souvenirs e salas de multimídia.
A Casa do Baile tem as curvas características do arquiteto Oscar Niemayer, que a projetou para ser um salão de dança. Porém, hoje, é um memorial de arte e design.
Por fim, podemos ver o famoso Iate Tênis Clube, um moderno prédio em formato de barco que forma um bonito reflexo nas águas da Pampulha.
Não apenas os pontos turísticos de Belo Horizonte chamam a atenção dos turistas, como também o seu povo, que é sempre carinhoso e receptivo. Por isso, conheça BH e não se arrependa!




Não devemos esquece do nosso querido Mega Space, que fica em Santa Luiza . Onde rola um dos nossos melhores shows de Minas Gerais , e os turistas não vão ficar de fora dessa , né ?  Nõa podemos esquecer também do nosso querido Espaço Folia, onde também rola um dos nossos melhores shows também ! 




Como surgiu?
Quando o assunto é a história do delicioso pãozinho de queijo, existem muitas versões que narram o acontecimento. Porém, a mais famosa e que muitos estudantes se baseiam, passa-se na época da escravidão, no século 19. Mas a sua popularidade efetivamente surgiu na década de 1960, em Minas Gerais, no modelo que conhecemos hoje em dia.
Como é feito?
Seja no café da manhã ou no lanche da tarde, o certo é que o Pão de Queijo faz parte da alimentação do mineiro. Para aprender a fazer o delicioso prato, tenha em mente, que você precisará de uma tigela grande, para colocar o polvilho, em seguida, à parte aqueça o leite, o óleo e o sal. Quando ferver, escalde o polvinho com essa mistura, mexa muito bem para desfazer as pelotinhas. Dessa forma, deixe esfriar, acrescentando os ovos um a um, alternando com o queijo e sovando bem após cada adição. Depois faça bolinhas de 2 (cm) de diâmetro e coloque em uma assadeira, feito isso, leve ao forno médio (180°), concluído, asse até ficar douradinho.




Feijão Tropeiro
Um dos primeiros pratos surgidos na capital mineira tornou-se rapidamente um clássico em sua gastronomia. O frango com quiabo, além de popular, trata-se da combinação de dois ingredientes inusitados, ou seja, a mistura do sempre injustiçado quiabo por parte das crianças com o delicioso frango caipira, que não teve jeito, virou obrigatório no cardápio de qualquer restaurante mineiro que se preze.

Como surgiu?

A origem do Frango com Quiabo veio dos índios e surgiu em Minas Gerais por causa da dificuldade do estado em trazer alimentos dos grandes centros da época, estamos falando do século 19, quando a Bahia e o Rio de Janeiro eram os grandes estados financeiros no país. Não demorou muito para o alimento se popularizar. Com Belo Horizonte não foi diferente, hoje o prato está sempre na mesa dos mineiros.

Como é feito?

O Frango com Quiabo é uma receita simples, fácil de fazer, porém, se você caprichar terá a recompensa de comer um dos pratos mais saborosos da receita mineira, caso contrário, não sairá com o gosto desejado, portanto, capriche. Primeiro, descasque um limão e esfregue nas peças do frango, em seguida passe sal e pimenta, deixando o repousar por uma hora. Depois, aqueça uma panela e coloque o óleo, adicionando o frango, deixando dourar levemente, feito isso, coloque a cebola picada e o tempero mineiro junto com o tomate, cobrindo com água, agora você pode cozinhar até o frango estar macio. Em uma frigideira, aqueça o óleo e refogue bem o quiabo, até sair toda a gosma, o retire e reserve, portanto, nessa hora deverá tirar o frango da panela e juntar à frigideira. Junte a parte sólida ao refogado de frango e cebolas, adicione um pouco do líquido no refogado, coloque o quiabo e o cheiro verde e deixe cozinhar por três minutos. Pronto, agora, espere alguns minutos e depois se sirva.


HISTORIA DO MERCADO CENTRAL:

O Mercado Central hoje
Uma mistura de religiosidade, cultura popular, tradição e contemporaneidade fazem do Mercado Central de Belo Horizonte um dos cantinhos mais aconchegantes da cidade. Lá se encontra de tudo. Se está com fome pode pedir comida mineira ou comprar ingredientes para fazer em casa. Se está com sede, pode convidar os amigos para uma boa cervejinha. Se busca algum tipo de proteção religiosa, pode comprar os mais variados artigos religiosos e esotéricos. Qualquer tipo de cura pode ser encontrado por lá: curas para a alma e para o corpo. Afinal, tem ervas para todos os tipos e gosto, que resolvem de intestino preso a impotência. Artesanato mineiro, floricultura, brinquedos e roupas. Mas para quem quer dar só um passeio, também pode passar por lá. Tem "causo" mineiro em cada canto daquele lugar. Essas histórias da cultura popular, meio verdade, meio crendice, ajudam também a contar um pouquinho da história de Belo Horizonte.

Não podemos esquecer do nosso grandão, nosso querido Mineirão, onde vai ser o mais esperado na copa de 2014 ! E onde se encontra o melhor tropeiro de BH !



A feira de Artes e Artesanato da Avenida Afonso Pena, popularmente conhecida como feira Hippie, acontece todo domingo na capital mineira a mais de 41 anos. A feira conta hoje com cerca de 2500 expositores que vendem as mais diversas mercadorias.

Fundada em 1969 tornou-se uma das maiores feiras da américa latina, que chega a receber 75 mil visitantes de todos os lugares do Brasil e do mundo e de todas as idades.

Na feira você pode encontrar Artes, Bijouterias, Brinquedos, Bolsas e Calçados, Móveis e Decoração, Roupas, dentre outras coisas. E é claro que a culinária não fica de fora, a feira também oferece diversos tipos de petiscos como churrasquinhos sanduíches, caldos e salgados.

Aqui você irá encontrar um pouco do que essa grande feira têm a oferecer domingo, e todos os outros dias da semana!



O Jardim Zoológico de Belo Horizonte está localizado na região da Pampulha e representa um dos mais importantes pontos turísticos da cidade. Sua inauguração deu-se em janeiro de 1959. Atualmente a responsabilidade da administração do jardim zoológico é da Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte, cujo 80% dos custos financeiros são repassados pela Prefeitura de Belo Horizonte e o restante da renda por via dos ingressos de entrada e venda de mudas de plantas.
O jardim zoológico conta com mais de mil animais que foram obtidos por permuta com outras instituições, doações supervisionadas pelo IBAMA, nascimento dentro do Zoológico, dentre outros.
A Fundação Zoo-Botânica conta com um quadro de funcionário especializados no cuidado com animais os quais praticam o manegio sempre pensando no bem-estar dos bichos.
Duas atrações a mais que existem no zoológico é o borboletário o qual possui mais de duas mil espécies de insetos e existe hoje programação noturna para visita. Em 2008 foi inaugurado nas dependências do zoológico, o jardim japonês, em comemoração ao centenário da imigração japonesa.

Em 5 de março de 2010, foi inaugurado nas dependências do Zoológico, o maior aquário temático de água doce do Brasil, e o primeiro a retratar exclusivamente a vida na Bacia do São Francisco.
Em 19 de sgosto de 2011 o Zoológico recebeu duas gorilas fêmeas oriundas da Inglaterra, Kifta (11 anos) e Imbi (10 anos), para fazerem companhia ao gorila Idi Amim, de 37 anos.


O Museu de Artes e Ofícios – MAO – é um espaço cultural que abriga e difunde um acervo representativo do universo do trabalho, das artes e dos ofícios do Brasil. Um lugar de encontro do trabalhador consigo mesmo, com sua história e com o seu tempo. Iniciativa do Instituto Cultural Flávio Gutierrez – ICFG, em parceria com o Ministério da Cultura e a CBTU, Companhia Brasileira de Trens Urbanos, o MAO preserva objetos, instrumentos e utensílios de trabalho do período pré-industrial brasileiro.
Criado a partir da doação ao patrimônio público de mais de duas mil peças pela colecionadora e empreendedora cultural Angela Gutierrez, o MAO revela a riqueza da produção popular, os fazeres, os ofícios e as artes que deram origem a algumas das profissões contemporâneas.
O MAO está instalado na Estação Central de Belo Horizonte, por onde transitam milhares de pessoas diariamente. É assim, um espaço coerente com a natureza da coleção, bem próximo ao trabalhador. Para abrigar o Museu foram restaurados dois prédios antigos , de rara beleza arquitetônica, tombados pelo patrimônio público. A sua implantação incluiu ainda a recuperação, pela Prefeitura de Belo Horizonte, da Praça da Estação, marco inaugural da cidade, que, cada vez mais, se consolida como espaço destinado a eventos e manifestações culturais.


Praça sete de setembro
Na planta do projeto de Belo Horizonte elaborado por Aarão Reis no final do século XIX, o traçado da cidade foi desenhado a partir de uma cruz formada por duas grandes vias que se cortam perpendicularmente. O ponto de intersecção, onde haveria uma praça, marcaria o centro da capital.
O nome originalmente escolhido para o local foi Praça Doze de Outubro, em homenagem ao dia12 de outubro de 1492, em que Cristóvão Colombo chegou às Bahamas, data comumente atribuída à descoberta da América.
Em 1922, seu nome foi alterado para Praça Sete de Setembro, nas comemorações do centenário da Independência do Brasil. Embora a pedra fundamental do "Pirulito", como é chamado pela população, tenha sido lançada naquele ano, o monumento só foi inaugurado no local dois anos depois, em 7 de setembro de 1924.
Em 1932, o Cine-Teatro Brasil foi construído na esquina da Avenida Amazonas com a rua Carijós.
Em 1950, foi inaugurado na esquina da Avenida Afonso Pena com a rua Rio de Janeiro o edifício do Banco da Lavoura, projetado por Álvaro Vital Brasil em 1946. O projeto, de estilo arquitetônico moderno, recebeu o prêmio de arquitetura na 1ª Bienal de São Paulo.
Em 1953, foi inaugurado o prédio do Banco Mineiro da Produção, projetado por Oscar Niemeyer em 1951.
Em 2003, a praça passou por um intenso programa de revitalização. Entre as principais mudanças, tornou-se acessível para portadores de necessidades especiais e pessoas com mobilidade reduzida. Além disso, cada um dos quatro quarteirões fechados ganhou um nome indígena, como as ruas transversais no projeto de Aarão Reis, e teve sua reforma conduzida pelos seguintes arquitetos: Gustavo Penna & Associados; Álvaro Hardy e Mariza M. Coelho; Jô Vasconcellos, Éolo Maia e Flávio Grillo; João Diniz, Graça Moura, Márcia Moreira; colaboradores como Verônica Mata Machado, Eduardo Bretal, Délio Cardoso e muitos outros.
Depois da reforma, a Praça Sete foi tomada pelo Museu Histórico Abílio Barreto como acervo operacional da instituição.
Em 2006, as avenidas que a cruzam foram totalmente recapeadas para o Encontro do BID.
Em 2009, a Praça teve um evento do Skate o famoso Go Skateboarding Day evento realizado no mundo todo .


O Parque Municipal Américo Renné Giannetti chega aos 113 anos consagrado como o
mais antigo patrimônio ambiental de Belo Horizonte. Inaugurado no dia 26 de
setembro de 1897, antes mesmo da nova capital mineira, o Parque foi projetado
no final do século XIX pela comissão construtora encarregada de planejar a
cidade. Mesmo localizado no Hipercentro, região mais adensada da cidade, o
local forma hoje um ecossistema representativo, com árvores centenárias e ampla
diversidade de espécies. O parque reúne cerca de 280 espécies de árvores
exóticas e nativas, além de ser considerado um refúgio para a fauna silvestre,
abrigando aproximadamente 50 espécies de aves e outros animais, como gambás e
micos. Com uma área de 182 mil metros quadrados de extensa vegetação, o parque
contribui para amenizar o clima da região central da cidade.


A área verde e o ambiente
agradável são os fatores que levam a assistente administrativo Sônia Rocha a
eleger o parque como o lugar ideal para se exercitar. Sônia mora no Centro de
Belo Horizonte e pratica exercícios físicos no Parque Municipal duas vezes por
semana. Segundo ela, os equipamentos esportivos disponíveis no local são um
complemento fundamental para sua rotina de atividades. “Vir ao parque me faz
bem. Além de variar o espaço de praticar os exercícios, é ótimo para que eu
relaxe e tenha ainda mais prazer”, disse. Sônia considera muito importante para
a população poder contar uma área verde bem no Centro da cidade e afirma que a
manutenção do parque é feita de maneira bastante cautelosa.


Além dos equipamentos esportivos, o parque oferece para a população opções de
lazer gratuitas: brinquedos, pista de caminhada, quadra poliesportiva, pista de
skate e quadra de tênis. O local também dispõe, com tarifa de R$1,21 opções de
brinquedos eletrônicos, como carrossel, roda-gigante e pula-pula. Os freqüentadores
também podem se divertir com os tradicionais burrinhos, o trenzinho e os
fotógrafos lambe-lambes, que já fazem parte da história consagrada do Parque.


Bento de Pádua, 68 anos, começou a trabalhar com fotografia no local há 32 anos
e explica que o Parque é fundamental para a vida dele, pois é de onde tira toda
sua renda. O fotógrafo afirma que a parte mais interessante do trabalho é lidar
com a diversidade de pessoas que freqüentam o local.


A estudante Regiane Fernanda
vai comemorar 15 anos no dia 9 de outubro e escolheu o Parque Municipal como
cenário de seu book de debutante. Regiane conta que mesmo com tantas outras
possibilidades de ambiente em
Belo Horizonte, escolheu o parque por ser um lugar que ela
freqüenta desde criança e do qual gosta muito. “É importante preservar um
espaço como esse no Centro da cidade. O parque tem muita área verde e é muito
bonito, por isso escolhi aqui”, explica.


A Savassi é um bairro situado na regional Centro-Sul de Belo Horizonte. É conhecida pela grande quantidade de bares e por um desenvolvido comércio, sendo uma das regiões mais prestigiadas da capital mineira. É onde se encontra várias boates de BH , e vários barzinhos . Na savassi está sempre tendo vários tipos de festas, juntando alimentos .


Um edifício na Praça da Savassi.


O Palácio das Artes, vinculado à Fundação Clóvis Salgado, é o maior centro de produção, formação e difusão cultural de Minas Gerais e um dos maiores da América Latina.
Situado em Belo Horizonte, e inaugurado em 1971, o complexo arquitetônico ocupa uma área de 900 mil metros quadrados dentro do Parque Municipal voltados para a exibição, produção e formação de recursos humanos para o mercado de artes e espetáculos. A Fundação dispõe de recursos cênicos e acústicos de elevado padrão técnico para a montagem de óperas, peças teatrais, concertos de orquestra, espetáculos de dança e shows de música popular, além de salas adequadas e confortáveis para exposições, exibição de filmes, lançamento de livros, palestras, congressos e seminários. O Palácio das Artes está localizado na Avenida Afonso Pena, nº 1537.



Um dos lugares mais agradáveis da cidade é este. Em meio ao burburinho do centro, o hall do Palácio das Artes parece um oásis. Envolto pelo verde do Parque Municipal Américo René Giannetti, esse espaço transparente se integra à paisagem e para a cidade.

-


Estádio Jornalista Felippe Drummond é o maior ginásio poliesportivo do país localizado em Belo Horizonte.
Foi inaugurado em 1980, sendo mais conhecido como Mineirinho por se localizar ao lado do Estádio do Mineirão. Sua capacidade é para 25 mil pessoas.O Mineirinho conta com excelente localização de fácil acesso e apenas 12 minutos do centro da cidade,e é conhecido como um dos cartões postais de Belo Horizonte.Possui a sua frente a belissima Lagoa da Pampulha,onde está também localizado outros cartões postais como a Igrejinha da Pampulha,o Mineirão,a Casa do Baile e o Museu.Além de esportes, o local também atende a grandes shows e eventos culturais em seu interior ou em seus anexos.O Mineirinho é hoje o maior Estádio poliesportivo do Brasil,atendendo a jogos,eventos e shows. Na lista de shows do Mineirinho podemos destacar atrações como a banda Guns N RosesIron Maiden,Scorpions.

Nenhum comentário:

Postar um comentário